Conto eróticos -Carta do Leitor #1

São Paulo. 31 de janeiro de 2019.


Pelo que eu me lembre deveria ser uma quarta-feira, eu estava sem transar com minha esposa fazia umas 3 semanas, parece que a gente vai perdendo a vontade de meter rola toda noite em uma mulher que casamos há mais de 4 anos.


Fico pensando:
A mesma buceta, as mesmas posições, o mesmo cheiro! Que bosta de vida de vida de casado sem graça!
Ela não faz nenhuma questão de mudar em nada. O mesmo hidratante, a xota raspada do mesmo jeito o mesmo grelo.


Ela procurava rola, mas sempre dava desculpa dizendo que o trabalho estava pesado demais. Eu sempre batia aquela punheta no banheiro do escritório ou as vezes para saciar ela colocava meu pau meio bomba pra ela mamar e tocar uma siririca e dá uns tapas na cara dela.


Mas nesse dia eu estava começando a ficar pirado, fica de pau duro à cada 10 minutos. Real mesmo, eu sentado na minha mesa no escritório ficava amassando pra aliviar o tesão, ficava babando.


Bah… uns dias antes estava no banheiro do escritório, me sentei no vaso abri a internet pelo iPhone buscando uma guria pra bater uma punheta e aliviar o tesão, acabei vendo um site tri legal, com acompanhantes novinhas, lindas, deliciosas e bucetudas, só vendo as fotos meu tesão ficou mais intenso, comecei a bater minha punheta e leitei na parede do banheiro.


Voltei pra minha mesa aliviado, por enquanto, e abri novamente o site de acompanhantes pelo navegador privado do meu celular.
Gamei na minha morena de cabelos escuros, teta durinhas e arrebitadas, biquinho do peito meio rosinha. A guria com um rabo bem macanudo, tipo bem encorpado mesmo.


Não aguentei e marquei com essa guria num lugar bem de boas, no Aramis Barra Shopping, praça de alimentação, como eu trabalho próximo e de carro fica suave chegar.


Lugar de boas a beira da Lagoa Guaíba.
Ela mandou um WhatsApp dizendo que estava já esperando. Bah, e eu respondi que estava no estacionamento a guria tri putinha falou pra eu esperar no estacionamento pra de lá a gente fuder em algum motel.
Deu a localização do estacionamento, eu fiquei de fora do carro, apoiado no carro, enquanto eu esperava ela, coloquei meu pau de lado como sempre fica, e começou a ficar duro, marcando minha calça social. Tenho 19 cm de rola bem grossa, então o povo começou a observar, tipo voyerismo mesmo, gurias passando e vendo o marcado na minha calça.


A guria apareceu e caminhou em minha direção, a safada estava com uma saia um pouco curta, roupa bem colada no corpo, quadril grande, os peitinhos bem marcados e eu comecei a amassar forte meu pau pra ela ver perceber eu já com tesão, a safada dava risadinha olhando pro meu pau e pra minha cara.
Nos apresentamos, abracei ela e já enterrei a mão no rabão dela e coloquei a mão dela no meu pau pra já sentir meu tesão. No estacionamento de fora do shopping ao céu aberto, era umas 4 da tarde, não tinha muita gente, aquele vento batendo forte vindo da Lagoa Guaíba, disse pra ela entrar que íamos pra algum motel. Mas nem deu tempo, começamos dentro do carro mesmo, correndo risco de alguém ver a putaria toda, mas tinha gente que dava uma de voyer e ficava olhando com vontade também.


Fiz ela fazer uma gulosa e engasgar no meu pauzão grosso até ela lagrimar e começar a babar todo meu pau, cuspir nele, ao mesmo tempo eu acariciava o grelinho dela que era meio pra fora,
a safada veio com uma calcinha bem pequena e ficou fácil eu só levantar a saia. O grelinho dela era maio e durinho em certa vez. Depois dela engolir todo meu pau e engasgar pedi pra ela sentar. A filha da puta sentou de frente, passando a boca no meu pescoço e ouvido, gemendo baixinho e encaixou meu pau na sua buceta. A acompanhante é tão boa que foi certeira sentando.


No estacionamento por volta das 4 da tarde, o povo passando e percebendo que alí tava rolando uma putaria. Meti na pele, sem capa mesmo, meu pau trincado de duro a bucetinha dela bem macia, cavalgava até que eu comecei a gemer de tesão. Na hora eu pensava: Puta que o pariu, como é bom fuder uma buceta gostosa.


A guria percebeu que eu estava quase gozando, a safado pediu leitinho na boca, mandei ela sair e peguei a cabeça dela pelo pescoço e coloquei pra mamar. Gozei na boquinha vermelha dela e a vadia tomou meu leite todo.
Pra provocar mais a vadia olha pra mim com a boca aberta, mostrando que tomou todo meu leite, tasquei um beijo gostoso na boca dela, senti até minha porra no beijo. Coloquei meu pau pra dentro da calça, ainda estava meio duro, e o pessoal do estacionamento passando e percebendo que tava acontecendo, até vi um casal que ficou bem interessado na putaria.


Peguei a grana no porta luvas do meu carro, paguei a Guria com vontade de marcar a segunda vez. Ela desceu e voltou pro shopping, eu ainda fiquei no carro ajeitando o banco e acessei o o site de acompanhantes que descobri ela para dar uma nota com perfil anônimo. Depois fiquei pensando se voltaria pro escritório ou pra casa mais cedo. Resolvi voltar pra casa, pois eu e minha esposa ia receber visita, nossos padrinhos de casamento